segunda-feira, julho 31, 2006

Dia Mundial do Orgasmo





Dia 31 de Julho é o dia mundial do orgasmo, sabia?
A data foi criada por sex shops inglesas que, depois de uma pesquisa sobre o assunto, descobriram que cerca de 80% das mulheres inglesas nunca chegaram ao orgasmo.









corabat

Amor – pois que é palavra essencial
comece esta canção e toda a envolva.
Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,
reúna alma e desejo, membro e vulva.

Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
até desabrochar em puro grito
de orgasmo, num instante de infinito?

O corpo noutro corpo entrelaçado,
fundido, dissolvido, volta à origem
dos seres, que Platão viu completados:
é um, perfeito em dois; são dois em um.

Integração na cama ou já no cosmo?
Onde termina o quarto e chega aos astros?
Que força em nossos flancos nos transporta
a essa extrema região, etérea, eterna?

Ao delicioso toque do clitóris,
já tudo se transforma, num relâmpago.
Em pequenino ponto desse corpo,
a fonte, o fogo, o mel se concentraram.

Vai a penetração rompendo nuvens
e devassando sóis tão fulgurantes
que nunca a vista humana os suportara,
mas, varado de luz, o coito segue.

E prossegue e se espraia de tal sorte
que, além de nós, além da própria vida,
como ativa abstração que se faz carne,
a idéia de gozar está gozando.

E num sofrer de gozo entre palavras,
menos que isto, sons, arquejos, ais,
um só espasmo em nós atinge o clímax:
é quando o amor morre de amor, divino.

Quantas vezes morremos um no outro,
no úmido subterrâneo da vagina,
nessa morte mais suave do que o sono:
a pausa dos sentidos, satisfeita.

Então a paz se instaura. A paz dos deuses,
estendidos na cama, qual estátuas
vestidas de suor, agradecendo
o que a um deus acrescenta o amor terrestre.

Carlos Drummond de Andrade

Amor e Sexo - Rita Lee (clique no Amor e, principalmente, no Sexo)

És uma pérola...



Uma? Não.
Muiiiiiiiitas pérolas, e não sabes!

domingo, julho 30, 2006

sábado, julho 29, 2006

Beck is back!

quinta-feira, julho 27, 2006

Proteja a Floresta

Este verão colabore e proteja a floresta

segunda-feira, julho 24, 2006

Por aí ....

womenbar

sábado, julho 22, 2006

Festa de casamento

Convidada para um casamento há algum tempo, lá fui eu no fim de semana passado.
Tudo correu muito bem. A noiva estava elegantíssima, o noivo maravilhooooooooooso, e os convidados, alguns já bem bronzé, também se apresentaram comme il faut.
O almoço foi magnificamente servido numa dessas quintas solarengas, que agora se dedicam a esse ramo de negócio.
Tudo estava o máximo. Até à hora da noiva atirar o ramo.



Vejam que lindo "ramo" ela atirou! Se a moda pega... !!!

quarta-feira, julho 19, 2006

Alarmes

Enquanto não houver alarmes .....

sexta-feira, julho 14, 2006

Tudo Teso

Tirado daqui

quinta-feira, julho 13, 2006


Solidão não é a falta de gente para conversar,
namorar, passear ou fazer sexo...
Isto é carência!

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência
de entes queridos que não podem mais voltar...
Isto é saudade!

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe,
às vezes para realinhar os pensamentos...
Isto é equilíbrio!

Solidão não é o claustro involuntário que o destino
nos impõe compulsoriamente...
Isto é um princípio da natureza!

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
Isto é circunstância!

Solidão é muito mais do que isto...

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos
e procuramos em vão pela nossa alma.

Chico Buarque

O meu pedaço de ti



Por que será
Que só consigo
Te ver muito mais
Da cintura
Para baixo?

Isso me deixa intrigada...

Será que é essa
A tua parte
Que me pertence mais
E que por isso mesmo

Me deixa as pernas trôpegas,
Quando a entrevejo
Nas minhas miragens
E nas minhas etéreas divagações?

Será que é essa
A tua parte que,
Sôfrega,
Me sacia exaustivamente,
Por alguns instantes,
Na sua sofreguidão
Benfazeja?

Será que é essa
A tua parte
Que me mata o desejo
E que por isso mesmo
É que, quando procuro
Te vislumbrar
Na mente,
Só consigo
Te ver mais nitidamente,
Da cintura para baixo?

Maria do Carmo Lobato

segunda-feira, julho 10, 2006

Âmbar


Maria Bethânia

Tá tudo aceso em mim
Tá tudo assim tão claro
Tá tudo brilhando em mim
Tudo ligado
Como se eu fosse um morro iluminado
Por um âmbar elétrico
Que vazasse dos prédios
E banhasse a Lagoa até São Conrado
E ganhasse as Canoas
Aqui do outro lado
Tudo plugado
Tudo me ardendo
Tá tudo assim queimando em mim
Como salva de fogos
Desde que sim eu vim
Morar nos seus olhos
Composição: Adriana Calcanhoto

sábado, julho 08, 2006

Diferente

Buffon e Alena Seredova



Gianluigi Buffon único na sua posição a concorrer ao prémio de melhor jogador do Campeonato do mundo e que está há 453 minutos sem sofrer golos neste Campeonato pode também bater 2 recordes se não sofrer nenhum golo contra a França.
Força Buffon, ganharás todas as honras e louros que mereces e receberás sempre e em qualquer dos casos os beijos a tua diva

sexta-feira, julho 07, 2006

Fantástico

Roads


Portishead (live)

Ideia

quinta-feira, julho 06, 2006

Amor online

Amoronline

Caracol...



Em cima da minha mama está um caracol
Que tem casca dura mas infelizmente o corpo mole
Tem dois olhinhos, tem dois corninhos
Carcacol, caracol vê se ficas duro ao sol

quarta-feira, julho 05, 2006

Um pendente...

... com fitinhas da sorte, para oferecer ao seu "homem", num qualquer dia especial!


terça-feira, julho 04, 2006

Pitosgas


Somos constantemente confrontados com grandes oportunidades brilhantemente disfarçadas de problemas insolúveis
Lee Iococca

Meia Nove do Pobre

Um casal brasileiro da favela tava lá no barraco, transando, na maior empolgação fazendo um 69, quando ela diz:
- Subiu novamente a gasolina, né, Gastão?
- Pô, Marilene ! Num enche o saco, nega! Tamo aqui trepando, e tu vem falar de gasolina!!! Quem te contou isso?
- Ninguém! Eu tô lendo num pedaço de jornal que ficou colado aqui no teu cú...!

Novo Dia


Começo de um novo dia...
Será ele de alegria ou apenas monotonia?

Vieste como um barco carregado de vento, abrindo
feridas de espuma pelas ondas. Chegaste tão depressa
que nem pude aguardar-te ou prevenir-me; e só ficaste
o tempo de iludires a arquitectura fria do estaleiro

onde hoje me sentei a perguntar como foi que partiste,
se partiste,
que dentro de mim se acanham as certezas e
tu vais sempre ardendo, embora como um lume


de cera, lento e brando, que já não derrama calor.

Tenho os olhos azuis de tanto os ter lançado ao mar
o dia inteiro, como os pescadores fazem com as redes;
e não existe no mundo cegueira pior do que a minha:
o frio do horizonte começou ainda agora a oscilar,
exausto de me ver entre as mulheres que se passeiam
no cais como se transportassem no corpo o vaivém
dos barcos. Dizem-me os seus passos

que vale a pena esperar, porque as ondas acabam
sempre por quebrar-se junto das margens. Mas eu sei
que o meu mar está cercado de litorais, que é tarde
para quase tudo. Por isso, vou para casa
e aguardo os sonhos, pontuais como a noite.

Maria do Rosário Pedreira