sábado, setembro 30, 2006

O Amor é Fodido


"Nascemos todos com vontade de amar. Ser amado é secundário. Prejudica o amor que muitas vezes o antecede. Um amor não pode pertencer a duas pessoas, por muito que o queiramos. Cada um tem o amor que tem, fora dele. É esse afastamento que nos magoa, que nos põe doidos, sempre à procura do eco que não vem. Os que vêm são bem-vindos, às vezes, mas não são os que queremos. Quando somos honestos, ou estamos apaixonados, é apenas um que se pretende.Tenho a certeza que não se pode ter o que se ama. Ser amado não corresponde jamais ao amor que temos, porque não nos pertence. Por isso escrevemos romances - porque ninguém acredita neles, excepto quem os escreve.Viver é outra coisa. Amar e ser amado distrai-nos irremediavelmente. O amor apouca-se e perde-se quando quando se dá aos dias e às pessoas. Traduz-se e deixa ser o que é. Só na solidão permanece...

O amor é fodido. Hei-de acreditar sempre nisto. Onde quer que haja amor, ele acabará, mais tarde ou mais cedo, por ser fodido. (...) Por que é que fodemos o amor? Porque não resistimos. É do mal que nos faz. Parece estar mesmo a pedir. De resto, ninguém suporta viver num amor que não esteja pelo menos parcialmente fodido. Tem de haver escombros. Tem de haver progresso para pior e desejo de regresso a um tempo mais feliz. Um amor só um bocado fodido pode ser a coisa mais bonita deste mundo.”

António Esteves Cardoso

quarta-feira, setembro 27, 2006

Publicidade

segunda-feira, setembro 25, 2006

Café com Leite

domingo, setembro 24, 2006

Nothing Compares 2 U



Sinead O'Conner

Cair de Véu


Saber o que és, dizer o teu corpo,
ouvir-te num breve instante,
dizer o que é amor sem o dizer,
tirar de mim um poema que te cante;

e ver passar-te por entre os dedos
o fio de luz que prende os teus olhos,
e vê-lo enrolar-se em segredos
quando a tua voz o apaga e acende;

tocar-te os lábios num fim de verso,
ver-te hesitar entre sorriso e mágoa,
perguntar se o teu rosto tem reverso,

e ter nele uma transparência de água:
é o que vejo em ti no cair de véu
em que me dás a terra que vale o céu.

Nuno Júdice

sábado, setembro 23, 2006

Liiiiiiiiiiiiindooooooooo

quinta-feira, setembro 21, 2006

O Mar e Tu


Andrea Bocelli & Dulce Pontes

Beijos do signo Gémeos


As pessoas deste signo são umas borboletas.
Os seus interesses e pensamentos, durante um beijo, podem oscilar entre uma piada alheia e a sua pessoa...
No meio de tudo, os nativos Gémeos ainda podem aproveitar para brincar ou morder-lhe a língua durante o beijo. Enfim, é difícil manter a concentração dessa gente cheia de artimanhas. Vai ser mais fácil "agarrá-lo" pela conversa do que pelo beijo, já que os Gémeos adoram falar, mas na hora de agir pouco fazem... Bem,alguém tem que tomar a iniciativa.
Por isso não hesite em tomar as rédeas. Ele ou ela ainda tentará dizer, em pleno beijo, que passou um passarinho por cima de vocês. Mas cabe a si fazer com que aquela mente inquieta pare, nem que seja por um minuto.

Fruto da Imaginação


A EU prepara-se para dar 280 milhões para os principais produtores de banana.
Portugal é o terceiro maior produtor de bananas da União Europeia, com produção na Madeira e Açores mas a Espanha receberá a "fatia de leão" pela produção nas Ilhas Canárias, depois a França pelas regiões de produção fora do país (Martinica e Guadalupe) e a seguir Portugal.
Notícia

domingo, setembro 17, 2006

Peixes


Canta Fagner
Composição: Juan Luiz Guerra / Versão: Ferreira Gullar

Tenho um coração
Dividido entre a esperança e a razão
Tenho um coração
Bem melhor que não tivera

Esse coração
Não consegue se conter ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura

Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor pra te encantar
Passar a noite em claro
Dentro de ti

Um peixe
Para enfeitar de corais tua cintura
Fazer silhuetas de amor à luz da lua
Saciar essa loucura
Dentro de ti

Canta, coração
Que esta alma necessita de ilusão
Sonha, coração
Não te enchas de amargura

Esse coração
Não consegue se conter ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura

Uma noite
Para unir-nos até ao fim
Cara a cara, beijo a beijo
E viver para sempre
Dentro de ti

Fácil, fácil...

fazer música assim.

Confira o Supla e sua banda em "Eu só quero comer você":



Essa música eh dedicada
A todas as meninas que estão molhadinhas
E a todos os garotos que estão
Com aquele pirulito laranja / com aquilo durinho

One, one two three four
I euuu não ligo pro amanhããã
I euuu não ligo pro que vão dizeerrr
I euuu não ligo mais pra nada

Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer você
Porque eu só queeero comer você

I euu não ligo pro seu namorado
I euu não ligo se você sai com todos esses tarados
I euu não ligo se você trabalha

Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer você
Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer vocêêêê

Me disseram que você estava no bar
Com uma cara bem safadinha
"eu gosto de"
Do tipo de garota que atrai
******* fuck tonight

Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer você
Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer vocêêêê

!!!!!! delícia !!!!!!

Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer você
Porque eu só queeero comer você
A noite inteeiiraaa comer vocêêêê

!!!!!! delícia !!!!!!

sexta-feira, setembro 15, 2006

1º Milagre da Santinha Paxaxita do Pipi


Um dos milagres operados pela Paxaxita é pôr os seus apaixonados em estado de gaguez!

Ouçam lá como eles ficam:


Mu... mu... mulher, em mim fi... zeste um estrago
Eu de nervoso esto... tou fi... ficando gago
Não po... posso com a cru... crueldade
Da saudade, Que... que mal... maldade
Vi... vivo sem afago

Tem tem... tem pe... pena
Deste mo... mo... moribundo, que... que já virou
Va... va... va... va... ga... gabundo
Só... só... só... só...
Por ter so... so... sofri... frido
Tu... tu... tu... tu... tu... tu... tu... tu...
Tu tens um co... coração fi... fi... fingido

Mu... mu... mulher, em mim fi... zeste um estrago
Eu de nervoso esto... tou fi... ficando gago
Não po... posso com a cru... crueldade
Da saudade, Que... que mal... maldade
Vi... vivo sem afago

Teu teu co... coração me entregaste
De... de... pois... pois...
De mim tu to... toma... maste
Tu... tua falsi... si... sidade é pro... profunda
Tu... tu... tu... tu... tu... tu... tu... tu...
Tua vais fi... fi... ficar corcunda!

Milagres das Santinhas do Pipi


Canonizadas há relativamente pouco tempo e sem o alarido que é comum nestas cerimónias, Paxaxita e Joana d'Arcos têm vindo a operar alguns milagres, que só agora podem começar a ser revelados.

Sempre fizemos o possível para que os nossos visitantes estejam no Pipi como se estivessem em suas casas...

Procuraremos não nos esquecer de ninguém... mas como os milagres são muitos...
Se alguém se sentir bafejado pela sorte de um dos nossos milagres e der conta de não ser mencionado, por favor deixe uma mensagem.

A partir de hoje, mas sem grande pressão, passaremos então a dar a conhecer aos nossos leitores os verdadeiros milagres que temos vindo a fazer.

"Amor – pois que é palavra essencial”


Amor – pois que é palavra essencial
comece esta canção e toda a envolva.
Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,
Reúna alma e desejo, membro e vulva.

Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
Até desabrochar em puro grito
De orgasmo num instante infinito?

O corpo noutro corpo entrelaçado,
Fundido, dissolvido, volta à origem
Dos seres, que Platão viu completados:
É um, perfeito em dois; são dois em um.

Integração na cama ou já no cosmos?
Onde termina o quarto e chega aos astros?
Que força em nossos flancos nos transporta
A essa extrema região, etérea, eterna?
Ao delicioso toque do clitóris,
Já tudo se transforma num relâmpago.
Em pequenino ponto desse corpo,
A fonte, o fogo, o mel se concentraram.

Vai a penetração rompendo nuvens
E devassando sóis tão fulgurantes
Que nunca a vista humana os suportara.
Mas, varado de luz o coito segue.

E prossegue e se espraia de tal sorte
Que, além de nós, além da própria vida,
Como ativa abstração que se faz carne,
A idéia de gozar está gozando.

E num sofrer de gozo entre palavras,
Menos que isto, sons, arquejos, ais,
Um só espasmo em nós atinge o clímax:
É quando o amor morre de amor, divino.

Quantas vezes morremos um no outro,
No úmido subterrâneo da vagina,
Nesse amor mais suave que o sono:
A pausa dos sentidos satisfeita.

Então a paz se instaura. A paz dos deuses,
Estendidos na cama, qual estátuas
Vestidos de suor, agradecendo
O que a um deus acrescenta o amor terrestre.

Carlos Drummond de Andrade.

quinta-feira, setembro 14, 2006

Via Láctea


O Céu como um todo, é muito bonito de se ver.
A sensação que damos quando os envolvemos na abóbada celeste, dizem ser muito forte e de difícil explicação.
Na nossa civilização, o nome Via Láctea vem dos gregos antigos, que a viam como um "caminho de leite" no céu. Será esta uma boa descrição?


Via: VideoSift

Imagens recolhidas na passada terça-feira durante a transmissão do jogo do Sporting

Momento de beleza...

Aproximam-se as vindimas...


quarta-feira, setembro 13, 2006

Gatos & Ratos


A noite surgiu negra e tenebrosa, enquanto o negro gato dormia, no quarto branco, onde havia um rato preto e uma ratazana branca, igual a essas utilizadas para pesquisas e experiências de laboratório.
O rato preto gostou da rata branca. Ela também gostou do parceiro pretinho, prova que entre os ratos não existe qualquer preconceito racial de cor, como costuma ocorrer em alguns países entre os seres humanos.
Mas os grunhidos de amor dos ratos, parecidos com os de um casal de javalis, acordaram o gato preto, que miou contra a noite sem estrelas.
Miado grosso, porém carinhoso, chamando a companheira, a bonita gata branca, que estava no cio.
Depois do delicioso ato sexual, o gato e a gata, que também não tinham preconceito de cor, jantaram o casal de ratos.
"Tramas & Dramas da Vida Urbana” contos de Hildebrando Pafundi

terça-feira, setembro 12, 2006

Made in USA

Ver um blog interessante: aqui.

segunda-feira, setembro 11, 2006

Lobo Mau...


O Capuchinho Vermelho

- Não te esqueças de dar as flores à avozinha - disse a mãe do Capuchinho Vermelho.
- Não esqueço, não, mamã - retorquiu a menina, ao sair a porta.
- E tem cuidado com o Lobo Mau que anda sempre rondando por aí, a querer comer toda a gente - insistiu a mãe, carinhosa.
- Ora, mamã! Já li àcerca dele! - e Capuchinho Vermelho, num saltitar alegre, enveredou pelo atalho que atravessava a floresta e ia dar à casa da avó. Com o cestinho de flores no braço.
- Ah, estas crianças! - suspirou a boa mãe, fechando a porta.
Capuchinho Vermelho seguiu o seu caminho. Um malmequer aqui, um rebenta-bois ali, um cardo acolá, lá ia aumentando o bonito ramo de flores para a vovó.
Eis senão quando surge o Lobo Mau. Aliás, já era de esperar.
- Onde vais, Capuchinho Vermelho? - perguntou, lambendo o beiço e piscando o olho aos pequeninos leitores.
- Ora - retorquiu Capuchinho Vermelho, encostando-se a uma árvore e acendendo um Gitanes que lhe oferecera o Valdomiro da embaixada - Sabes muito bem onde vou. - Atirou o fósforo à orelha do Lobo mau e continuou: - Levar estas flores à avozinha, que tu queres comer para depois me comeres a mim.
- Eu, comer-te? - o Lobo mau arregalou o olho, num espanto.
- Sim, por que não?
Capuchinho Vermelho meteu os cigarros no bolso do aventalinho bordado, colocou o cestinho de flores no chão e fez umas cócegas no pirilau do Lobo Mau. O Lobo Mau deu três pulos, é óbvio. Capuchinho Vermelho prosseguiu:
- Se bem que a avozinha esteja bastante seca, como sabes, deve no entanto chegar para dois. Vem daí comigo.
O Lobo Mau foi logo, coitado.
À noite, na bonita casinha da avó, no outro lado da floresta, o Lobo mau roía o último fémur e a menina, enquanto punha um pouco mais de banha na frigideira para fritar as iscas, explica ao bicho voraz:
- Quanto a comeres-me, falamos disso mais logo.
E falaram.
Por isso, meus meninos, é que há agora por aí muitos Capuchinhos Vermelhos com um grande rabo, dentes afiados e, ainda por cima, a pedir boleias.

(estória de Wilson Gasosa (Mário-Henrique Leiria), publicada em "O Coiso", nº 1, 7 de Março de 1975, Aqui)

Escorrendo....

o mel pelo corpo abaixo...
(não rima com melaço, mas quase!)

sábado, setembro 09, 2006


Ó abelha rainha, faz de mim
Um instrumento de teu prazer
Sim, e de tua glória
Pois se é noite de completa escuridão
Provo do favo de teu mel
Cavo a direta claridade do céu
E agarro o sol com a mão
É meio-dia, é meia-noite, é toda hora
Lambe olhos, torce cabelos
Feiticeira vamo-nos embora
É meio-dia, é meia-noite
Faz um zum na testa, na janela
Na fresta da telha
Pela escada, pela porta
Pela estrada toda afora
Ânima de vida
O seio da floresta amor empresta
A praia deserta zumbe na orelha: concha do mar
Ó abelha, boca de mel
Carmim, carnuda, vermelha
Ó abelha rainha, faz de mim
Um instrumento de teu prazer
Sim, e de tua glória

terça-feira, setembro 05, 2006

O caminho das joaninhas...



domingo, setembro 03, 2006

Uma salada...

para estes últimos dias de verão

sábado, setembro 02, 2006

Os 10 Mandamentos do Homem Casado - 10º


10. NÃO COBIÇARÁS A MULHER DO PRÓXIMO

O homem parte do princípio de que indivíduos do sexo masculino são todos iguais, imutáveis, enquanto as mulheres são todas diferentes. Por isso, um cara esperto não poderá deixar de conhecê-las, "perdendo sua vida" apenas com uma delas. Essa é uma das teorias mais machistas que existem. Igualmente equivocado é definir amizade como um amor sem sexo; e amor como uma amizade com sexo. Liberdade na vida é ter um amor para se prender.

Surpresa boa!!!!


WILLIAM LAWSON'S WHISKY "SCOTTISH INSTINCT"
Veja Aqui

Os 10 Mandamentos do Homem Casado - 9º


9. NÃO DARÁS FALSO TESTEMUNHO, NÃO MENTIRÁS

Não adapte a história de acordo com as suas intenções. A omissão é uma mentira ainda mais grave. Toda mentira é detalhista, enquanto a verdade é rápida e crua. Não finja reuniões quando está bebendo com os amigos. Se o homem começa a dar muitos pormenores, é porque está mentindo. Não use jogo baixo, transformando o respeito e a preocupação dela em cobrança. Se precisar, peça desculpa. Desculpa não dói, o que dói é a falta de desculpa. Arrepender-se do que foi feito é aceitar a contradição, a oposição, a experiência negativa dentro da gente. Não há culpa onde houve vontade de acertar.

sexta-feira, setembro 01, 2006

Porque hoje...

ainda é sexta-feira...
... mas amanhã é sábado e depois de amanhã, domingo...
os meus votos de um bom fim de semana!


MySpaceGraphicsandAnimations.org

Graphics provided by MySpaceGraphicsandAnimations.org

Os 10 Mandamentos do Homem Casado - 8º


8. NÃO FURTARÁS O MELHOR TEMPO DA VIDA DELA

Sei, o homem se arruma em 15 minutos e ela está ainda provando o terceiro andar do guarda-roupa. Não há elevador dentro de casa, então o jeito é subir a escada da paciência degrau por degrau. Esqueça o horário do compromisso. Apenas participe da cena como se fosse uma peça de teatro. Faça de conta que ela é a atriz de um monólogo moderno. Uma mulher escolhe inúmeras, inúmeras vezes a roupa, não porque seja volúvel ou tenha dificuldades na hora da decisão, mas para ver seu corpo em seqüência. E, no momento da prova, não acaricie a barriga dela se ela não estiver grávida! Será letal.

Qu' Olhões


Com Um Brilhozinho nos Olhos

Os 10 Mandamentos do Homem Casado - 7º


7. NÃO ADULTERARÁS. SERÁS SÓ AMANTE DE TUA PRÓPRIA MULHER

Descubra a parte do corpo dela que exala o perfume mais forte. Será o ponto de maior excitação. Use a respiração como voz. Não atalhe, não abrevie, não resolva. Mas avance e recue. Faça o que mais quer para logo mudar de idéia. Volte atrás como quem deixou de lado algo importante. Não pense muito, apenas o suficiente para não ser refém do corpo. Assista a si mesmo mais do que atuar. Namore as regiões de que ela tem mais vergonha. No fundo, a vergonha é discreta vaidade. Não ataque, converse com as mãos, converse pelas mãos, conserve a atmosfera sem as mãos. Defenda-se para mostrar sua vulnerabilidade. Escute o que ela não disse. Não tenha pudor. Fome é desejo. Exponha-se. Acaricie as costas dela com a cabeça e o rosto. Concentre-se na dispersão. Não banque o sério, pois entedia. Combine tranqüilidade (estar à vontade) com insegurança (não saber o que vai acontecer). Despiste sua movimentação. Quanto maior a espera, maior será a eletricidade. Não aguarde respostas rápidas. Desprendimento é diferente de descompromisso. É doação. Não durma depois. Não se afaste com pressa. Continuem se beijando mansamente. Não questione se ela gozou. Ela vai detestar ou mentir.